Pular para o conteúdo principal

Crianças de 2 até 5 anos incompletos incluídas na campanha de vacinação contra o vírus H1N1

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou em coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (21), no Rio de Janeiro, que a campanha nacional de vacinação contra o vírus Influenza H1N1 será estendida a crianças de 2 anos até as que tenham 5 anos incompletos. Segundo o ministro, a medida foi possível graças a um excedente de vacinas que foram compradas pelo ministério. “Ao todos, há quase dez milhões de crianças brasileiras nesta faixa etária, que devem ser imunizadas com duas meias doses de vacina. Por isso, 21 dias após a primeira aplicação, as crianças devem ser levadas novamente aos postos para a segunda meia dose”, explicou Temporão.

Quem pertence a grupos de risco de contágio do vírus e ainda não foi vacinado também terá uma nova oportunidade. Até o dia 2 de junho, todos os 36 mil postos de saúde do país permanecerão com a campanha. “Gestantes e adultos entre 30 e 39 anos precisam estar atentos, o inverno vem chegando e a circulação viral aumenta”, alertou o ministro.

Estatística da Vacinação

Segundo o ministro, até o momento, 61 milhões de brasileiros já foram vacinados, o que corresponde a 32% de toda a população. Este número é maior do que os Estados Unidos vacinaram, cerca de 24% da população, e o México, com 20%. "Nenhum país vacinou tanto quanto o Brasil. O foco está nos mais vulneráveis ao vírus, seguindo orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para vacinar os grupos de maior risco", expliou Temporão.

Dos grupos de maior risco, 100% dos trabalhadores da área de saúde foram vacinados, assim como crianças de 6 meses a 2 anos. Os índígenas e pacientes com doenças crônicas, incluindo idosos, estão em 80%. Gestantes, em 68%. Cerca de 77% de adultos entre 20 e 29 anos foram vacinados e apenas 37% dos que estão entre 30 e 39 anos. Os dados são do balanço até o dia 20 de maio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfermagem + Idosos = Cuidados

A atuação de enfermeiros junto ao idoso deve estar centrada na educação para a saúde, no “cuidar”, tendo como base o conhecimento do processo de senilidade. Estar em atento ao retorno das possíveis atividades do idoso e de sua capacidade funcional. O objetivo primordial dos enfermeiros é atentar às necessidades básicas, à dependência e ao bem-estar do idoso. Tal colocação tem como base a assistência de enfermagem tanto na saúde quanto na doença.
Todos os profissionais envolvidos neste trabalho de ajuda ao idoso devem atuar, também, junto a seus familiares, apoiando-os nas decisões, ajudando-os a aceitar as alterações físicas advindas de doenças próprias da idade.

Pois , o idoso pode apresentar vários problemas que levam ao comprometimento da sua reabilitação tais como: Desânimo, depressão, crise de choro e idéia de suicídio, muitas vezes observados durante a consulta de enfermagem. É de extrema importância os enfermeiros, nessas situações, serem sensíveis para detectar tais problemas, i…

Alzheimer: Diagnósticos de Enfermagem e Reabilitação do paciente.

O dia 21 de setembro foi instituído pela ADI (Alzheimer's Disease International), entidade internacional que congrega mais de 75 Associações de Alzheimer no mundo, como dia de sensibilização para a doença.
Doença de Alzheimer - Enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas pode e deve ser tratada. Quase todas as suas vítimas são pessoas idosas. Talvez, por isso, a doença tenha ficado erroneamente conhecida como “esclerose” ou “caduquice”.
A doença se apresenta como demência, ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem), causada pela morte de células cerebrais. Quando diagnosticada no início, é possível retardar o seu avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. Seu nome oficial refere-se ao médico Alois Alzheimer, o primeiro a descrever a doença, em 1906.
Causa - Não se sabe por que a Doença de Alzheimer ocorre, mas são conhecidas algumas lesões cerebrais características dessa do…

Enfermeiro gay é morto na frente da filha.

Na semana passada, um enfermeiro foi morto a golpes de faca dentro de casa na frente da filha de um ano em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Antes de morrer, a vítima chegou a contar que teve a casa invadida por um homem encapuzado.
Jorge Patrício de Araújo, de 37 anos, que era casado com um homem, havia acabado de adotar a criança. Para os amigos, o crime foi motivado por homofobia.
A DH (Divisão de Homicídios) de Niterói investiga o caso.