Pular para o conteúdo principal

HIV


Novo tratamento de HIV 'permite pausa maior em terapia'


Terapia anti-retroviral não pode ser suspensa por mais de quatro meses
Pesquisadores apresentaram na 17ª Conferência Internacional sobre a Aids na Cidade do México uma vacina que permitirá aos pacientes com HIV uma interrupção mais longa no uso de medicamentos sem apresentar efeitos colaterais.
A vacina foi desenvolvida por uma companhia de biotecnologia baseada na Noruega, a Bionor Immuno.

Ao todo, 345 pacientes em 21 centros de tratamento nos Estados Unidos e Europa vão participar do teste da vacina, o maior deste tipo já realizado. Os resultados serão divulgados no final de 2009.

Barry Peters, do Kings College de Londres, lidera a pesquisa na Grã-Bretanha.

"Uma vacina imunoterapêutica contra o HIV daria aos pacientes e aos médicos vantagens enormes em relação aos tratamentos atuais, em países desenvolvidos e em desenvolvimento", afirmou.

"Mesmo se esta vacina não for a resposta final, pode ajudar na caminhada em direção a uma vacina imunoterapêutica contra o HIV."

Uma pausa da terapia tradicional para pacientes com HIV poderia diminuir os efeitos colaterais associados aos medicamentos, como problemas do coração e fígado, diarréia, náusea e perda de gordura.

Também pode adiar o surgimento de vírus resistentes à medicação, além de significar economia para serviços públicos de saúde.

Estímulo

A vacina estimula uma resposta do sistema imunológico. Os remédios tradicionais de combate ao HIV bloqueiam a reprodução do vírus.

A nova vacina já foi testada duas vezes em uma escala mais reduzida, em 11 pacientes e depois em 38 pacientes com o HIV e os resultados foram promissores.

A maioria dos pacientes conseguiu evitar o uso dos remédios habituais da terapia anti-retroviral por um período de, em média, 31 meses.

Durante este período de pausa, o nível de células CD4+, importantes na luta contra a infecção, permaneceu acima do nível que estes pacientes apresentavam quando iniciaram a terapia anti-retroviral.

Quarenta e quatro meses depois da interrupção do tratamento 34% dos pacientes ainda não tinham voltado à terapia anti-retroviral. Alguns pacientes ainda não voltaram à terapia anti-retroviral, cinco anos depois de o teste ter sido completado.

Geralmente a terapia anti-retroviral não pode ser interrompida por mais de três a quatro meses sem apresentar efeitos colaterais.

Lisa Power, chefe de políticas na organização de caridade britânica Terence Higgins Trust, que dá apoio e informação a pacientes com HIV, afirmou que ainda não se sabe se a vacina vai funcionar, mas a pesquisa é promissora.

"Qualquer avanço que dê às pessoas mais opções de tratamento e adie o avanço do vírus, é uma coisa boa", afirmou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfermagem + Idosos = Cuidados

A atuação de enfermeiros junto ao idoso deve estar centrada na educação para a saúde, no “cuidar”, tendo como base o conhecimento do processo de senilidade. Estar em atento ao retorno das possíveis atividades do idoso e de sua capacidade funcional. O objetivo primordial dos enfermeiros é atentar às necessidades básicas, à dependência e ao bem-estar do idoso. Tal colocação tem como base a assistência de enfermagem tanto na saúde quanto na doença.
Todos os profissionais envolvidos neste trabalho de ajuda ao idoso devem atuar, também, junto a seus familiares, apoiando-os nas decisões, ajudando-os a aceitar as alterações físicas advindas de doenças próprias da idade.

Pois , o idoso pode apresentar vários problemas que levam ao comprometimento da sua reabilitação tais como: Desânimo, depressão, crise de choro e idéia de suicídio, muitas vezes observados durante a consulta de enfermagem. É de extrema importância os enfermeiros, nessas situações, serem sensíveis para detectar tais problemas, i…

Alzheimer: Diagnósticos de Enfermagem e Reabilitação do paciente.

O dia 21 de setembro foi instituído pela ADI (Alzheimer's Disease International), entidade internacional que congrega mais de 75 Associações de Alzheimer no mundo, como dia de sensibilização para a doença.
Doença de Alzheimer - Enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas pode e deve ser tratada. Quase todas as suas vítimas são pessoas idosas. Talvez, por isso, a doença tenha ficado erroneamente conhecida como “esclerose” ou “caduquice”.
A doença se apresenta como demência, ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem), causada pela morte de células cerebrais. Quando diagnosticada no início, é possível retardar o seu avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. Seu nome oficial refere-se ao médico Alois Alzheimer, o primeiro a descrever a doença, em 1906.
Causa - Não se sabe por que a Doença de Alzheimer ocorre, mas são conhecidas algumas lesões cerebrais características dessa do…

Revertendo a laqueadura

Mudou de idéia sobre ter filhos? Veja como resolver essa situação

Imagine tomar uma decisão que pode mudar o rumo da sua vida, ou melhor, o rumo da vida de toda a sua família. Agora, imagine que sua vida mude de um dia para o outro e que você se arrependa dessa decisão. Muitas vezes não se pode voltar atrás, mas algumas escolhas podem ser refeitas. Felizmente, a medicina já consegue (pelo menos na maioria das vezes) reverter a laqueadura ou ligadura de trompas.

Optar pela esterilização feminina é um passo importante na vida de um casal, e deve ser muito bem pensado para que não haja arrependimento depois. "Quando a decisão da ligadura é tomada após o casal analisar as inúmeras possibilidades, que devem ser apresentadas pelo médico (término da relação, perda ou doença de filho etc.), o arrependimento tende a ser muito pequeno, daí a importância da informação ao casal. Optar por tal método por imposições de ordem financeira, pressão do cônjuge, instabilidade emocional, certamente ele…