Enfermeira tem dedo amputado após ser mordida por paciente no Rio de Janeiro.


Uma enfermeira passou por uma cirurgia e teve o dedo amputado após ser mordida por uma paciente, na clínica da família Waldemar Berardinelli, em Sepetiba, na zona oeste do Rio de Janeiro.

A paciente afirmou que tomou a atitude após a profissional da saúde recusar-se a atendê-la por estar em horário de almoço. A agressora foi presa em flagrante por agressão corporal. 

Na última sexta-feira, uma equipe da TV Bandeirantes foi até o local e encontrou uma fila de espera de até 5h. Um homem que aguardava ser atendido disse que é comum acontecer agressões contra os médicos e as enfermeiras. 


Hoje, no Rio de Janeiro, 74 clínicas da família são responsáveis pelo atendimento de 3 milhões de pessoas. A meta do governo é entregar outras 170 unidades até o final de 2016.

Para a vice-presidente do Sinmed-RJ (Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro), Sara Padron, além da falta de unidades, as condições de trabalho das unidades públicas também são precárias. “Um auxiliar técnico de enfermagem teve uma fratura de mandíbula por uma agressão que sofreu durante seu trabalho. Esse médico é o anteparo, é a primeira pessoa que a população desafoga a sua frustação”. 

A gerência da clínica informou que mesmo com a superlotação da unidade, os casos de saúde mais grave têm prioridade no atendimento e confirmou que, como a demanda é grande, o atendimento é lento. 

Fonte: Band
Flag Counter share buttons

Matérias do Blog